sexta-feira, 30 de março de 2012

Eu tô é ficando de saco cheio desse pessoal da positividade. Sério, me diga quem consegue ser positivo 100% do tempo? Nem o Dalai Lama! Até ele deve acordar puta da cara ás vezes. Convenhamos minha gente, cobrar vibe positiva dos outros e querer matar secretamente alguém me parece contraditório, não? Siim! Por algumas vezes eu reprimo o desejo de esganar alguém até a quase morte, e eu não me sinto mal por isso, eu não preciso fingir que está tudo azul, quando não está. A contraponto em que, se estiver tudo azul, eu vou dizer isso, a quem eu quiser que ouça. Chega desse lance de positive vibration e o caralho a quatro. Parece que hoje em dia só se é feliz para invejar os outros, se é triste pra que os outros sintam pena, só se vive pra pode ter o que postar no Facebook! Então enfia tua falta positividade lá naquele lugar. Obrigada.

terça-feira, 20 de março de 2012

Aqueles dias em que até o guaraná ( que tu havia dito que ia parar de tomar) sem gás tomado no bico parece bom, naqueles dias em que tua gata destrói teu quarto e tu só olha sem reação. Aqueles dias em que o calor incomoda, o frio chateia e tua melhor perspectiva é chegar viva até o dia seguinte. Um dia tipo esse. Já tive dias melhores, mas piores também. É sempre assim, um dia a menos não faz mal a ninguém.

terça-feira, 13 de março de 2012

terça-feira, 6 de março de 2012

Em que ponto você deixa de ser "seletiva" e passa a ser chata? Pois bem, não sei, e desconfio já ter passado desse ponto há muito tempo. Sim minha gente, pra quem achava que não seria possível mais chatice nesse corpo, venho eu e os surpreendo.
Estou mais chata do que nunca, e estou amando isso. O fato é que aprendi finalmente que não preciso aguentar nada do que eu não queira, não preciso ficar ouvindo gente retardada falando merda no meu ouvido, já chega eu falando merda. Não preciso estar ao lado de quem não quero por conveniência e isso é lindo!
Certo, perco em quantidade e perco a convivência de alguns que amo e que não pensam como eu. Mas paciência pessoal, paciência por que a minha eu já perdi. =]

segunda-feira, 5 de março de 2012

Merda. Merda de dia. Mais um dia de merda. Ele só queria chegar logo em casa, tirar os sapatos que apertavam seus mindinhos, tomar um banho e dormir. Pensava que, quando um homem tem como máximo prazer tirar seus sapatos, então alguma coisa está terrivelmente errada em sua vida.
- Eu costumava gostar de assistir jogos de futebol, hoje nem isso. - Ele pensou alto, estacionando o carro na garagem do seu prédio. Pegou o elevador e foi direto para seu andar, não encontrou com ninguém, não falou com ninguém, se quer sabia quem eram seus vizinhos. Sorriu ao lembrar das suas fantasias com vizinhas novas pedindo xícaras de açúcar. Do jeito que o mundo anda, no máximo uma de adoçante.
Entrou em casa e jogou, casaco, sapatos e gravata na poltrona do hall de entrada. Sentiu falta do seu cachorro vindo lhe receber, pobre Bob, morreu. Mas ao menos não precisava mais ficar o dia todo trancado naquele apartamento esperando seu dono carente chegar.
A chuva, antes fina, começou a cair violentamente contra a vidraça da sacada.
- Noite perfeita para dormir. - Pensou ele. - Vai esfriar, feliz de quem tem companhia.
Ele não tinha. Foi casado uma vez, sua mulher o deixou, não conseguiu conviver com seu comportamento anti social. Depois disso, uma namorada, e depois disso, desistiu. Como se fosse assim fácil, só desistir.
Seu velho, e talvez único amigo, foi morar na Holanda. Ideiazinha mais infeliz essa de morar do outro lado do oceano, deixando-o aqui sozinho. Teve depressão por alguns meses, mas logo desistiu, ter depressão dava muito trabalho. Hoje em dia se contentava em ler, almoçar todos os domingos com seu sobrinho e dormir de meias, o resto era complicado demais.