segunda-feira, 7 de junho de 2010

O que sobra do amor depois das 8 da manha?
O que sobra do amor depois que música para, a bebida acaba, a noite se vai?
Depois que o sol nasce tímido em meio ao semi-breu frio e vazio de uma noite de festa?
O que sobra do amor? Onde foi parar o amor? Onde deixamos o amor?
Como se ele fosse algo retrátil e pequeno, nós o guardamos no fundo do armário enquanto enchemos a cara de maquiagem e vestimos nossas melhores roupas.
- Fica aqui, de manha eu volto ta?

Confiança, disposição, frieza, desejo super exposto. Noite. Hormônios incontroláveis, nada precisa fazer muito sentido.
Não há amor, não há muito mais do que consideração pelas próprias vontades.
Eu quero beijar, eu quero beijar, eu quero tocar, eu quero sentir, eu quero provar, eu quero esquecer.
Amanha tudo isso aqui será uma grande piada, uma grande risada, uma grande e interessante parte da vida solteira que se leva, que todo mundo ama, que quem não tem fala mal e quem tem não quer lagar de jeito nenhum.
As 8 da manha tiraremos nossa maquiagem, botaremos nossos pijamas, entraremos de baixo das nossas cobertas, acompanhadas ou não, e de baixo de nossos travesseiros o amor nos espera pronto pra nos receber, pra nos acolher, pronto pra nos fazer voltar a realidade.

Nenhum comentário: