segunda-feira, 21 de junho de 2010

Eu nunca disse que nao tinha medo. Eu nunca disse que ia ser tudo diferente dessa vez. Por que toda vez diferente da anterior, mesmo que seja igual e mesmo que seja pra sempre. É sempre diferente.
Eu tenho medo. Eu convivo com ele diariamente.É por ele que estou aqui viva hoje lhes escrevendo essas bobagens. Por causa do medo eu não bebi o gole antes do coma, eu não atravessei a rua antes do ônibus, eu não usei a antes da over.
Eu nunca prometi não ter medo. Eu nunca prometi nada que pudesse cumprir.

Nenhum comentário: