domingo, 28 de fevereiro de 2010

Sabe, eu to feliz, eu to feliz não por mim, mas por uma amiga que considero MUITO mesmo, eu to feliz por que ela tá feliz. E meu, é incrível como humor de alguém, a felicidade de alguém que se gosta pode influenciar na vida de todos ao redor.
Parece que foi ontem que estávamos sentadas no origame, com o Greg, umas cervejas e nossos corações destroçados, chorando nossas magoas e olhando nossos 'objetos' de desejo. E agora pô, as coisas funcionaram pra ti e eu não tenho palavras pra dizer o quão feliz estou por isso, por vocês. E é uma esperança pra mim também sabe, quer dizer, o mundo não está assim tão indiferente ao amor e seus derivados e conspira a favor ás vezes, eu ainda tenho chances no final das contas.
Bom, que as coisas continuem funcionando pra vocês e começem a funcionar pra TODOS nós. :)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Eu tenho medo de ouvir o que as pessoas teem a me dizer, tenho medo de sair de casa, tenho medo de ligar a televisão e ver uma notícia ruim, tenho medo de entrar na internet e ver o que não quero, tenho medo que chova demais, que faça sol demais. Tenho medo de descobrir a verdade sobre as pessoas, sobre o que elas fizeram e não me contaram, sobre o que elas me escondem por bem ou mal. Tenho medo de descobrir que as pessoas que amo não sejam como eu penso que são. Eu tenho medo de falar demais e de não falar tudo que preciso.
Eu tenho medo. Mas isso não é como das outras vezes, é pior, é sufocante desta vez. Eu tenho medo de falhar de novo. Eu tenho medo de na hora H ter medo. De afastar todos de mim, de criar um abismo de léguas entre mundo real e meu pensamento. Medo de beber toda uma oportunidade e depois vomitar a responsabilidade. Eu tenho medo de machucar, de ferir, de fazer chorar, de ignorar o que não se ignora, de ver mais do que gostaria e saber mais do que devia. A boa e velha Mariá não tinha medo, boa e velha Mariá não tinha nada. A Mariá de agora não tem nada a dizer, ela nunca tem.
Mas vai passar, vai passar. E eu tenho medo de que passe.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Eu confesso estar bobinha, estar com aquela coceirinha boa na nuca, por receber uma mensagem bonitinha no cel. Aiai. Eu não estou apaixonada, mas não seria ruim se ficasse. Ele me faz realmente bem por hora. Quer dizer nos últimos dias ele tem sido meu principal motivo para sorrir.
Garoto esperto. Só queria passar mais tempo com ele, aproveitar mais a ótima companhia enquanto ainda podemos.
Quem diria que o carnaval me traria uma coisa boa a médio prazo, pelo menos?
Não sei mais o que dizer, acho que minha vontade de passar mais tempo com ele já diz muita coisa.
O bonitão vai me achar uma guriazinha boba ao ler isso, mas ele já sabe que não sou. ;)
Bem vindo a minha vida Bonitão, se você quiser é claro. :)
Na falta do que dizer ficarei quieta.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Legal, eu to irritada, definitivamente.
Obrigada por foder o meu dia de novo. Parte 534 (Y)
Por isso que te amo tanto sabia? Ahmm... NÃO!
Eu estou sim com ciúmes, eu estou sim enciumada. E nada que me digam ou façam vai mudar esse sentimento. Eu sei bem o meu lugar, e mais importante ou não, ele não vai mudar nunca na vida, mas mesmo assim eu tenho ciúmes.
Eu quero a vida de volta. Preciso ter o que fazer, com o que me preocupar pra não pensar besteira. Não me sinto bem de qualquer forma, com tudo.
É, acho que é isso por hoje pessoal.
Eu não sei o que escrever.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Eu saberia dizer tudo olhando pra você, tudo que eu sempre já disse. Eu sempre já disse tudo, você é que nunca quis ouvir de verdade. Sei lá também, tudo depende de seu ponto de vista, errado ou não, eu não me importo de qualquer forma. Se você não se importa, por que eu me importaria? Por que sim, por eu gosto de ti e me importo com o que tu faz, diz e sente, por mais que pra você isso não faz diferença alguma. Bom, ao menos é o que parece. Mas eu como você não sabemos esconder nossas pretensões um do outro.

Eu acordei mau humorada, achando que toda a vida podia ser diferente do que é agora e boa parte da culpa é sim sua. Faz o que você sempre fez, esquece, abstrai.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Será que eu fui tão cega assim todo esse tempo? Isso seria possível?
Eu não duvidaria em todo caso. Eu só preciso de alguns dias de lucidez e desapego pra pensar melhor nisso, pra depois correr atrás ou não. Mas que seria muito estranho, seria. Tipo, tudo o que eu disse todo esse tempo que não queria de jeito nenhum e tals, tá mas e se eu quiser agora? Claro que não depende só de mim, mas não custaria tentar. Esse é o problema e solução, nunca custa tentar, pra mim nunca custa muito ir lá e dizer algumas coisas, argumentar sobre minhas pretensões, receber um "sim" ou "não".
Pois é minha gente, daqui uns tempo já poderemos dizer;
" E lá vai o cão arrependido..."
Pra quem vê o copo meio cheio, como diria Estela, essa é uma bela oportunidade de recomeçar, mudar de atitudes, desapegar e fazer tudo diferente de antes. Por que querendo ou não, considerando todas as possibilidades, o que aconteceu foi o melhor, depois de não haver mais saída, por que esperança sem há.
Eu não sei, eu não estou na pele dela, não era eu lá desidrantando de tanto chorar. Eu não sei como é sentir o que ela sente agora, eu só queria ser capaz de amenizar isso. Obviamente eu não sou.
Eu vou parar de falar sobre a dor alheia, não sei direito nem da minha.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Eu nunca vou saber lidar com ela, penso que ninguém vai. Só espero que o sofrimento passe logo, as coisas nunca mais serão as mesmas.
=\

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Bom, o carnaval foi muito bom! Muito mesmo!
Não tenho muito o que falar e também não quero. xP
Muitas risadas, histórias, muita coisa louca e divertida. Valeu a enorme parceria do melhor bloco da vida, gurias vocês foram demais! Carol, Estela, Gabi, Juli, Nanda o carnaval foi o melhor do lado de vocês.

E eu tenho só duas coisas pra dizer agora;
"Juli, 7 pila e não se fala mais nisso!"
e
"Olha o romance do Guideck!!" (8)

HSUAHOSDHAUSHDUAHSDOUAHSOUDHAUSHDUASHDUAHSDUHASUDHAS

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Bem rapidinho, só pra não esquecer.

Eu estava lá tendo filhos de preocupação com o que estava para acontecer. Eu tentei impedir, eu conversei, eu argumentei com o pouco que conseguia raciocinar naquele momento, por que eu estava bêbada, louca não. Só que, era tão simples sabe? Tão simples aquilo, era só atender ao desejo, SÓ. E o mundo ao redor, os personagens dessa história, fora eu que era uma mera coadjuvante, não se preocupavam com aquele evento de tamanho porte que estava ocorrendo, era simples, era legítimo, era só um beijo.
Eu chacoalhei a cabeça e como se tirasse com a mão, um pouco da alucinação alcoolica passou, escorei minha cabeça no peito forte e másculo do ficante da vez (que por sinal era lindo. Benza deus, eu tenho sorte!) e pensei em uma coisa tão descomplicada, tão simples; as únicas duas pessoas no mundo que tinham que se importar com tudo isso estão muito ocupadas querendo descobrir o gosto da boca da outra.
É eu não tenho nada a ver com isso.
Vemk dar mais um beijo bonitinho.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Amanhã começa o carnaval, e amanhã também começa o período mais feliz do ano, onde não é feio beber até cair, nem beijar mais de um por noite. São os 5 dias onde todo mundo vira travesti, inclusive eu, claro.
É carnaval minha gente! *_*
Ok, eu sumo nessa época, sem celular, sem net, sem vida além do carnaval. Só pra avisar mesmo, se quiserem falar comigo tentem a sorte no cel, mas só entre meio dia e 6 da tarde e net, só vou entrar pra ver minha colheita, então respostas e posts só depois do dia 16. (Y)
Bom carnaval a todos e a mim inclusive que vai pular com ou sem dor de garganta.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Faltam dois dias para o carnaval e eu estou com dor de garganta (Y)
Comemorem, o olho gordo que botaram em mim deu certo. Por enquanto, é claro. ;)

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Eu tenho meus motivos e eles não são questionáveis, por ninguém.
Eu tenho meus motivos pra virar travesti depois de beber, eles são meus e eu amo eles.
As pessoas falam de mais, pensam de mais, agem de menos, assim como eu. A diferença entre nós é que eu vou fazer se quiser e depois disso, mesmo que tenha sido a maior besteira, eu vou assumir. Merda, eu vou assumir.
As vezes eu até acho que devia me importar um pouco mais com a opnião alheia, mas dae lembro que é só uma opnião e não a verdade. Da minha verdade só eu que sei e opniões não vão muda-la.
E eu quero que vocês falem de mim, falem, mas falem muito mesmo e falem o que quiserem.
Eu sou assim, e bom ou ruim, sempre tem quem goste.
Quando se faz algumas escolhas na vida, elas te levam a enfrentar coisas que nem todo mundo precisa enfrentar. Eu já ouvi muita merda da boca dos outros e aprendi a não dar importância, a não levar em consideração, por que eu optei pela minha felicidade, independente de qualquer coisa, eu escolhi ser quem sou e amo ser quem sou.
Eu sou sim contraditória, quem não é? Por que eu posso querer agora e depois não mais. Eu não tenho medo de mudar de idéia, de pensamento, de vontade. Eu aprendi a controlar o mínimo possível meus impulsos e eu sou incrivelmente feliz por isso, por fazer o que e como faço.
Eu estou aos poucos aprendendo a sofrer, me permitindo isso, mas eu não vou chorar a toa.
Eu não vou e não quero de forma alguma dar o prazer de não falarem mais de mim, mal ou bem.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Um homem, um garoto, precisa saber a sutil e imensa diferença que existe entre ter pegada e ser violento. Poucos sabem, infelizmente.
Eu só queria te ver sorrir. Só isso.
Eu só queria ajudar a estampar um sorriso gigante nessa cara linda.
Mas eu não tenho vocação pra palhaça. Não deu.
A muito tempo eu não me divertia como me diverti ontem. Nossa, foi MEGA divertido. É o tipo de coisa que sempre acontece quando nos reunimos com o mesmo o objetivo, e é tão bom sempre, beber e virar travesti,( hSIUDHOIUASHDOUIHASDUIAS), as risadas, os tombos, as brigas, os beijos, as coisas loucas que só acontecem com nós.
A sempre muita loucura na normalidade, fazer tudo sempre igual, sempre dentro dos padrões, sempre previsível, isso sim é loucura. Nada mais normal do que não deixar pra manhã o que se pode fazer hoje, fazer o que se tem vontade. Sim pra mim é normal, o resto é loucura pura.

E só pra constar; o Jack é um cara muito sortudo, sortudo mesmo, mas ele faz por merecer. ;)
Vida minha, te amo sempre gordinho! *_*

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Eu poderia falar sobre os motivos que me fazem te amar, eu poderia falar sobre os motivos pra não te amar e poderia ainda falar sobre os motivos pra deixar de te amar. Mas vou terminar esse post por aqui mesmo.
Eu sei que prometemos não falar pra ninguém, não contar, não comentar ou fazer qualquer coisa que desse a entender alguma coisa sobre o que está acontecendo, mas eu não resisti, desculpa. =\
If you want, I want.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Definitivamente não é coisa da minha cabeça. Eu já não me sinto bem em lugar algum.
Não interesse quantas garrafas de vokda, quantas bocas beijadas, quantas risadas dadas,no final da noite eu vou sentir a mesma dor de cabeça chata e o mesmo vazio de quem não tem nada.
As coisas mudaram por aqui, as pessoas mudaram, estão estranhas, ou eu é que estou? Ou melhor ainda, é assim que elas sempre foram, mas só agora se mostraram? Eu não sei, eu só sei que não me sinto bem aqui, nem ali, nem lá. Eu estou cansando de chegar em algum lugar e no segundo seguinte já querer ir embora dele.
Tenho quase certeza que eu não sou daqui. (8)

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Eu sonho com um piano.
Não é um sonho de quando está dormindo, é um sonho, um desejo, daqueles que todos nós temos, secreto e perfeito.
Bom, é mais ou menos assim:
Um sala grande, arejada, clara, muito branca. Um sofá gigante toma a sala de estar, ele é confortável, daqueles que tu se joga e afunda de tão fofo. Muitas almofadas por todos os lados. Um tapete grande e fofo, parece ser bege ás vezes e em 0utras assume tons vermelhos vibrantes. No lado direito, de quem está de frente pro sofá, tem uma parede e um grande quadro de linhas abstradas pendurado nela. Atrás uma escada em caracol e mais atrás ainda uma parede de vidro, enorme, toma toda a extensão da sala, naquele lado. Eu não tenho certeza de qual é a vista, talvez o mar, talvez uma cidade grande vista a noite. Do lado esquerdo de quem entra, como se estive em um palco, um degrau a cima do resto da sala, imponente e intocado está um piano de calda branco.
Agora, o que eles está fazendo ali eu não sei. Eu não toco piano, apesar de sempre ter tido vontade de aprender, mas mesmo assim não é algo que eu vá me empenhar em ter, sei lá. Mas ele está lá, e aparece que toca alguma melodia clássica e relaxante. Eu entro e vou em direção a ele, me escoro em sua calda e observo a vista pela parede de vidro, segundos depois ouço passos descendo a escada, eu sei quem é, não preciso olhar, eu sinto pelo cheiro quando se aproxima de mim. Um toque leve no ombro, eu me viro, um sorriso sincero, mãos nas mãos, um beijo quente. Ops, parece que achei utilidade para o piano. ;)
Bagaceira!
Não temos motivos pra continuar, não temos. Não temos grana, não temos emprego, não temos amores, nem muita perspectiva.
Amarramos nossos corações em uma corrente, depois de tira-los do peito, e o arrastaremos a trás de nós como se aquele fosse o maior peso que alguém pudesse carregar.
Nós temos sorrisos sinceros de amigos, temos litros de whiskey roubados, temos um narguilé e temos alguns bancos pra sentar e ver a madrugada passar. Não temos mais motivo algum pra dormir, sonhar já não está ao nosso alcançe. Poucas coisas estão ao nosso alcançe na verdade, mas sonhar não, sonhar é só pra quem acredita.
Eu acredito. ;)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Você nunca me pareceu ruim. Eu que fui boa de mais pra você então? Eu que te botei em um pedestal de ouro a cima da cabeça de todos os outros? A cima de todos os pecados mundanos, lustrando sua auréola brilhante todos os dias pela manhã? Como se eu precisasse daquilo muito mais do que você? Como se minha vida dependesse da sua para seguir ou continuar intocada cuidando do jardim florido ao seu redor?
Como eu pude ser tão ingenua?
Eu não sou ingenua, é você que sabe o que faz.
Sabe a sensação de perder algo que nunca se teve de verdade?
Claro que você sabe, todo mundo aqui já perdeu algo e pode apostar, nenhuma vez ele foi seu de verdade.
Eu não sou modesta, eu admito, e talvez esse seja o grande erro. Eu sempre faço questão de exaltar todas as minhas qualidades e defeitos, também me orgulho deles. Isso chega a ser irritante.
Mas sabe, eu não descobri isso sozinha, quer dizer, minha grande auto estima não começou do nada, eu sempre ouvi das pessoas sobre como eu era especial, sobre como eu era boa em determinadas coisas, eu só concordei. Sim é isso que está parecendo, eu estou botando a culpa em vocês da minha pouca modéstia. Afinal de contas, eu me garanto.
Tá, mas o que isso tem haver com perder coisas e pessoas? Na verdade eu não sei.
Eu sei que eu sendo boa em algumas coisas não estou acostumada a perder nelas. É simples, ninguém que você conheça faz melhor do que eu (poço de arrogância!!) e quando por algum motivo desconhecido você ainda prefere outros, isso é insuportável. Eu vou me corroer olhando suas fotos felizes, mas isso dura apenas segundos, pode ter certeza. Tem sempre outro alguém querendo quem sabe fazer melhor, sacas?

Não levem em consideração as palavras a cima, eu estava fora de mim e fui invadida por uma Mariá cheia de ódio e nada de espirito esportivo.
Boa noite queridos.
Eu sempre pensava, como todo mundo acho eu, em o que seria quando crescesse, em como eu seria quando crescesse. E agora eu cresci. Não venham com essas piadas sobre meu tamanho, eu to falando sério. Quer dizer, eu acho que eu cresci. Bom, pelo menos um pouco sim. Eu já tenho 20 anos, e pode até parecer pouco pra quem tem 70 anos, mas eu já fiz tanta coisa nessa vidinha cara, nossa! Eu fiz até de mais.
Mas o que eu fiz de bom? Que boas lembranças eu vou deixar pras pessoas? Elas lembrarão de mim como?
Parece que estou preocupada em deixar um legado, mas não estou. Estou preocupada em me orgulhar da vida que levei, das coisas que fiz, das pessoas que eu amei.
Eu não tenho certeza na verdade, mas acho que fui capaz de arrancar mais sorrisos do que lágrimas.
Eu só tenho 20 anos e as vezes parece que carrego o peso de uma vida inteira nas costas.
Dez anos a mil ou mil anos a dez?
Dez anos a mil, com toda certeza.
Meu animo não anda dos melhores ultimamente, e se me perguntasse qual é a coisa que mais tenho gostado de fazer, eu te diria com certeza que é dormir. Só dormir.
Vou dormir.