terça-feira, 29 de setembro de 2009

- Como tu pode ter certeza que é ela!? Como tu sabe que é ela o amor da tua vida?! - Eu indaguei gesticulando.
- Sabendo. Não sei como, mas eu sei. - Ele me respondeu calmo tomando mais um gole de coca.
- Meu! Tu nunca tocou nela, nunca beijou ela! Como tu pode amar alguém sem saber se o beijo é bom!? - Eu quase gritei indignada com a situação.
- Tu nunca vai entender. - Ele falou tocando meu ombro, tentando me acalmar. - Tu não vai entender se nunca sentiu o que eu senti quando olhei pra ela. - Ele falou suspirando.
- E o que você sentiu? - Perguntei irritada.
Ele olhou pra mim e sorriu de leve antes de começar a falar: - Eu olhei pra ela e na hora um arrepio subiu pela minha espinha. Ela brilhava, reluzia uma luz tão forte e linda, que me cegou e eu não pude ver mais nada além dela. Eu tinha meu próprio sol, que desse momento em diante aqueceria meus dias frios e nublados. Ela se tornou meu norte, minha certeza de que a vida pode ser boa mesmo sendo como é. Hoje Mariá, eu posso dizer que toda e qualquer dor que já senti antes é nada perto do que ela me proporciona só por existir. E eu sei! Eu sei que não a senti, não a beijei ainda, mas a certeza de que aquela criatura não pode, e deus não permitiria isso, fazer nada que não seja bom, é muito maior. Tu não entende que o contato físico vai ser apenas um detalhe nessa história? É amor. - Ele terminou de forma treatal. - Tu já sentiu isso Mariá?
Eu me recostei na cadeira boquiaberta e falei baixinho. - Já, eu já senti tudo isso.
- Já? - Ele perguntou sem entender.
- É, já sim. Mas foi a tanto tempo... - Sussurrei distante.
-Então tu entende né? Tu sabe o que é ter alguém por quem ser melhor, alguém pra ser sua vida? - Ele falou empolgado.
- Sei. Uma vez, a alguns anos. - Parei. - Uma vez eu vivi por alguém. Hoje em dia...morri. - Sorri amarelo. Eu sabia bem sobre o que ele estava falando.
Você saberia contar a distância que separa uma boca da outra? O percurso que existe entre duas bocas que se querem muito?
Eu sei, eu conto as minhas distâncias em milhões de batimentos por segundo do meu coração. Não importa quantas vezes eu tenha feito isso, é sempre como a primeira vez, a descoberta de uma boca desconhecida é sempre estimulante.
Tum, tu-tum, tu-tum. Milésimos de segundo são transformados em séculos, de querer beijar, até a iniciativa, depois a leve inclinada de cabeças, os olhos fechando, por fim o primeiro toque. Bum! Te ajeita, envia tuas mãos ao corpo alheio, e o trás pra perto do teu, descobre o encaixe, o ritmo.
Um beijo é sempre poesia, os que dei com muita vontade, até os que foram sem vontade nenhuma. Dos que dei sã, até os que dei completamente fora de mim. Os bons serão sempre lembrados, os perfeitos são requisitados novamente, os ruins também estarão na memória, mas com outro objetivo, não fazer de novo. Agora, os mais ou menos, serão só os mais ou menos, ninguém lembra de alguém mais ou menos, então seja sempre um dos extremos.
Eu lembro bem do meu último beijo ruim e lembro detalhadamente do último perfeito. Nossa...PERFEITO!!
Que os milhões de batimentos do meu coração contem a distancia que ainda falta para o próximo beijo. Centenas de milhões de batimentos. :)

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Eu to agitada e feliz. Tenho muito pra escreve, mas não quero agora, talvez mais tarde.
Ah! Só uma coisa bonitinha. :)

Você caiu de para-quedas no meu sábado infeliz, graças aos meus origames, ou não. E bom, podia até ter caido com uma bigorna na minha cabeça que mesmo assim eu ia achar ótimo. Sorriu gigante pra mim e eu quase implorei: "Me engole sorriso gigante, me engole!".
Eu já participei de mais de uma quinzena de festas de 15 e afirmo minha simpatia por essas comemorações. Agora, festa com open bar e família juntos não é uma coisa que combine, não que eu possa beber na frente deles, eu posso, e todos sabem do meu gosto por bebidinhas. É mais por falta de parceria pra falar e fazer besteira no fim da noite mesmo.
Então, 15 anos dos gêmeos, um casal pra constar e são meus primos, em casa mesmo, na piscina e tals, nada grande. (Nossa! como eles cresceram cara! e eu nao (Y) ) Tão lindos! Lindos mesmo! É de família né. :P
Eu cheguei de tênis, jeans e camiseta, ia ter que trabalhar depois mesmo, não ia ficar muito tempo. E já ta todo mundo mais do que acostumado com o meu jeito de vestir la em casa. Os convidados foram chegando, parentes, amiguinhos (amiguinhos?! como se eu não tivesse amigos de 15 anos). Eu fui la pra tras comer e beber, tinha passe livre já que ia trabalhar. Quando vi que começou a encher voltei pro salão, alguns colegas tentavam instalar o data show e não conseguiam.
- Pergunta pra Mari se ela sabe.- Falou uma de minhas primas apontando pra mim. Todos viraram pra mim que chegava despreocupada, mas um olhar em especial chamou a minha atenção, ele percorreu meu corpo todo e a cara de espanto ao ver que eu estava de tênis, foi lindo! E dai que tu tá de sapato e eu completamente fora dos padrões!?
Uma criança, pra mim, mas na hora me lembrou alguém que fez a minha cabeça. Algo me fez pensar com muita convicção que aquela criança daria muito trabalho para os pais.
Depois do momento paralelo respondi:
- Ahmm...Acho que não sei mexer nisso, mas posso tentar.- E me encaminhei pro pc, sendo seguida de perto pelo tormento de sapatos. Não consegui arrumar, é claro. Me virei levantando e dei de cara com quem?! Isso mesmo! Pude sentir seu cheiro tão perto de mim que cheguei a me arrepiar.
- Opa! desculpa! - Falei e sai.
Tormento! Tormento!
Este blog está tendo mais visibilidade do que eu podia imaginar. Bom e ruim.Bom por que é reconhecimento e ruim por que não quero que TODO mundo leia né. Será que vou ter que parar de escrever meus pensamentos impublicáveis aqui? Humm...Não queria. Mas qualquer coisa faço um outro e escrevo bobagem la e deixo esse pra coisas mais "sérias".

Bom, obrigada a todos que leem. Deixem suas opniões aqui ou no orkut, só pra mim saber né. :)

domingo, 27 de setembro de 2009

Sabe uma coisa que aprendi e sempre reforço minha aprendizagem quando trabalho de garçonete??
A tratar bem as pessoas, seja ela quem for. Por que porra, uma garçonete pode foder com a tua vida e tu nem vai ficar sabendo. (6)
Por tanto, patricinhas e playboys que se acham melhor que todo mundo, tratem bem quem te serve, fikdik. É tão fácil pra qualquer garçom ou garçonete que você acabou de esculachar, ir pra tras do balcão e fazer qualquer coisa nojenta contra sua bebida ou comida. HAHAHA eu sou mal.

Agora uma breve história.

Oito pessoas de fora da cidade chegam e sentam. Dois casais 3 adolescentes e uma criança.
Eu vou atende-los.
Uma das adolescentes pede: -Tem suco natuaral?
Mariá diz: - Só de laranja, mas tem de lata outros sabores.
A ruivinha diz: - Quero de uva de lata.
A feia diz: - Quero de laranja natural.
A primeira volta a falar: - E eu quero um de uva natural.
Putamerda! Qual a parte de nao ter de uva natural tu não entendeu??
Eu mantenho-me simpática e continuo: - Só temos de laranja natural senhorita.
- Hum, então pode ser de laranja mesmo. - Ela fala com cara de nojinho.
Sirvo toda a mesa e tals e passa um tempo. De repente a ruiva bonitinha faz um sinal, eu olho e em seguida ela bota a mão na frente do rosto e só com o indicador faz um movimento de vemK! O.o
Djesus! isso pra mim é uma intimação pra sexo! Qisso!?
Fui lá, ela só queria outro suco mesmo, graças a deus!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Ah! eu vou trabalhar esse fim de semana, tentar me purificar do anterior, que foi MUITO TENSO!
Tá, beijo pra quem veio e ficou, pra quem veio e foi e pra quem ainda vai vir. :D
Cuidem-se cocotas(os) e pensem em mim ;)

p.s. existe cocotos?!?! sei la!
SDYAGSYDUIASDYAYDGASYD

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Dê umas semanas pra cá eu tenho lido tanto, escrito tanto. Minha mente há muito tempo não estava tão criativa. Escrevo no mínimo uns 5 textos sobre temas variados todos os dias, meu dois "livros" estão avançando de forma animadora. Já li 4 livros nas últimas 3 semanas, Fernanda Young, minha deusa, Clarice Lispector, uma descoberta maravilhosa, o já consagrado por mim e pelo resto do mundo inteligente, Érico Veríssimo e Agatha Christie, gênio do suspense.
Uma explicação? Sim, há um explicação para tudo isso, para meu súbito momento de inspiração e criatividade. Então, a vários meses eu tinha, quase diariamente, companhia na cama, e eu não falo só de companhia relacionada a sexo ou algum tipo de envolvimento, muitas vezes apenas companhia mesmo. Por educação, por me envolver ou por simplesmente não me sentir a vontade e não ter o que escrever, eu não escrevia, não lia, quase não pensava. Tá, menos, bem menos.
Como diz e acerta em dizer, aquela comunidade no orkut "sou mais inteligente solteiro".Bom, nesse caso eu sempre estive solteira, mas me envolvia emocionalmente com minhas companhias, ficava mais dependente e consequentemente mais burra. FIM
Adoro filosofia de orkut, sempre faz todo sentido.

Beijoo pro amor mais vadia de todos! ;)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

To atrasada, mas ta ae.

É semana farroupilha, estão todos com o peito inflado de orgulho, gritando a plenos pulmões a alegria de ser gaúcho. Confesso, até eu que não sou uma gaúcha legítima,mas por viver aqui desde sempre me considero como tal, também encho a boca pra falar a nossa tradição.
Nesses dias se pode ver desde punk rockers ate patricinhas usando bombachas e não considerar isso como falta de personalidade, é a tradição que ao menos uma semana do ano contagia a grande maioria e fala mais alto. Cavalgada, bailes, música tradicionalista por todo parte e se normalmente qualquer coisa já é motivo pra fazer um churrasco, nesses dias então não há limites de vezes para se comer costelas, picanhas e afins.
Agora, é impossível falar de orgulho gaúcho sem falar em futebol, seja você gremista ou colorado, independente, sabe bem do que falo. E é através do futebol que vivi e exibi tudo o que o Rio Grande do Sul significa pra mim.
Era dezembro de 2006, estava visitando meu pai que mora no mato grosso do sul. Domingo de meio dia, família e amigos reunidos para comer "churrasco"(bife na chapa). O assunto do momento era o rebaixamento do corinthians para a segunda divisão do brasileirão. Por motivos variados, como o MS não ter nenhum time com grande notoriedade no resto do Brasil, boa parte das pessoas lá são corinthianas, mas tem também palmeirenses, flamengistas e todos esses times de merda. :p
Todos discutiam sobre os motivos que levaram o "timão" a ser rebaixado e no momento que perceberam que havia ali uma gremista, as perguntas jorraram sobre mim, até que um deles falou:
- Bem que vocês podiam ter ajudado a agente né? Pra não sermos rebaixados. O inter perdeu de propósito pro Goias
- Por que fariamos isso? Quando vocês foram rebaixados saimos na ruas pra comemorar, gremistas e colorados juntos, como se tivessemos ganho um campeonato.
Nesse momento eu vi os olhos daquele marmanjo se encher de lágrimas e perguntar incrédulo:
- Vocês comemoraram?! Pra que isso?
- Vocês roubaram o campeonato do inter ano passado (2005) - Respondi calmamente.
- Mas tu não é gresmista? O que tem haver?
- É que lá no RS mexeu com um de nós, mexeu com os dois.- Sorri.

Irmandade, união. Antes de sermos brasileiros, gremistas ou colorados, nós somos gaúchos e isso só quem vivi aqui sente e entende.
E vamo fazer mais um churrasco que to com fome!
Eu já vi muita gente ir embora. Já vi muito amigo partir atrás do que queria, do que acreditava ser melhor. Mas apesar da distância, de dezenas, centenas ou milhares de quilometros distanciando-me deles, eu nunca havia sentido isso, esse sentimento de perda que agora me assombra. Puta! sabe, eu passo meses sem ve-los, mas quando os vejo parece que eles sempre estiveram aqui, que nao ficaram longe por um minuto se quer, as risadas, intimidades, piadas, confissões nao mudam.
Dae, o improvável acontece, improvável mas não impossível, eu sinto que estou perdendo amigos que estão ao meu lado, que vejo quase todo dia, que falo, toco sempre. Não há mais intimidade, nem carinho ou compreenssão. Porra, pra que um amigo se isso não acontece!?
Nesse momento eu chego a pensar "então nunca fomos amigos?" As vezes parece...
Doi, doi pra caralho isso, sentir estar perdendo alguém que é\foi tão importante.

Dia ruim, semana ruim, momento ruim.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A mensagem que salvou meu dia e possivelmente a minha semana toda.

"eu gosto de ti, gosto do que tu faz, e de como faz, gosto do teu cheiro na minha camiseta, do beijo e do toque. Gosto de como você é."

Obrigada por me fazer sorrir. ;D

domingo, 20 de setembro de 2009

Eu não ia sair sexta, e... Eu sai sexta, e bebi tanto meus deus, tanto!! Sabe, eu não sei de onde saia tanta bebida, bom pra resumir, eu cheguei em casa as 7 da manhã, vi o sol nascer na rua, lindo por sinal.
Sábado de tarde acordei jurando de pé junto que não ia sair de noite, tava malecha e sem vontade, mas...
Eu não vou entrar em detalhes, mas eu acabei só de top no meio de um monte de homem sem camisetae outras milhões de pessoas bêbadas que corriam por toda casa e a destruiam.
Nossa, eu tenho que parar de prometer que não vou beber, é o tipo de promessa que não sei cumprir de jeito nenhum.

sábado, 19 de setembro de 2009

Cá estou eu bebada, numa casa desconhecida, com gente conhecida.
Sei la, SYJOGA!
Eu prometo não escrever mais sobre você, é a última vez que você vai ser tema dos meus textos, pelo menos dos publicáveis.
Dos meus erros tenho tanta consciência quanto dos meus acertos, eu nunca fui santa, como sei que você tambem não foi. O que me frusta entao? É o fato de que eu seria capaz de dar e mudar tudo por você e você não quis.Paciência, a vida vai continuar, com ou sem você do meu lado, pelo menos como eu queria. Assunto encerrado.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

A história é muito antiga, de anos atrás. Escrevi e guardei. Hoje quando achei, resolvi publicar.
Ah, é real.


Hoje eu acordei com vontade de mudar minha vida, de largar tudo, de chutar o balde geral!!
A primeira coisa em que pensei foi em você, eu não te vi ontem e já morri de saudades. Olhei o celular, uma mensagem tua: " Preciso converar contigo, vem aqui em casa."
Nem um beijo, nem um "te amo". Estranho.
Enquanto tomava banho planejei tudo, eu vou pegar toda a grana que conseguir, vou vender tudo que é meu, vender minha parte na empresa do pai, pegar tudo e fugir contigo, só nós. Bobagem, sei bem que é impossível.
É domingo, a minha cabeça doía, ressaca da noite sem limites de ontem. Nossa, temos mais sorte que juízo, muito mais.
Almocei, entre na net e fim de tarde fui te ver. Ansiosa, cheguei pedindo um beijo um abraço, você me negou.
- Que que foi? - Perguntei decepcionada
Você passou por mim e foi pro quarto sem dizer nada, fui atrás.
- Que ta acontecendo amor? - Insisti
Você sentou na cama e eu acompanhei.
- Onde tu foi ontem Mariá? - A pergunta saiu seca e objetiva
- Eu te falei, nós tava no centro e depois fomos pra festa. - Respondi mansa.
- Não, tu foi em outro lugar antes disso. Eu sei
- Não, eu não fui. - Resisti
- Eu sei ta!? - Um meio grito saiu. Tremi. Droga. - Eu sei que tu não saiu só com os teus amigos ontem, eu sei que tu ficou com aquele guri de novo!
Baixei a cabeça, estralei os dedos compulsivamente, estou errada e fui pega merda. Ouvi choro vindo de ti. Alguns minutos de vergonha minha e raiva tua.
- Amor... - Eu tentei começar a argumentar, mas você não deixou
- Sem amor tá? Eu cansei, de verdade dessa vez.
Levantei a cabeça de ressalto ao ouvir isso e te olhei incrédula, tu não podia ta falando sério, era da boca pra fora como todas as outras vezes que você ameaçou terminar comigo.
- Não, assim. Tá eu sei que vacilei de novo e tudo o mais, mas eu te amo muito, sério e prometo que não vai acontecer de novo. - Eu pareci um cachorro fazendo aquela cara de coitado e você me olhou e balançou a cabeça em negativa.
- Tu já prometeu isso das outras vezes, só que dessa vez eu não dar uma de idiota, que leva corno e fica na boa, não mesmo. Eu não quero mais.
Nesse momento o teto pareceu desabar sobre a minha cabeça e a vontade de chorar veio tão forte que não tive como segurar. Baixei a cabeça de novo e me deixei chorar. Você chorou também.
Estava acabado, por mais que eu não quisesse acreditar e não conseguisse acreditar, tudo me dizia que dessa vez era verdade, que nada que eu disesse, prometesse, nem se eu implorasse pra não terminaramos, nada iria adiantar. A pior de todas as dores que já senti na vida.
Eu levantei de repente, abri a porta e quando ia sair você falou:
- Espera. - Parei segurando o trinco, a esperança tomou conta de mim por uma fração de segundo. - Leva isso contigo. - E me alcançou aquele maldito pedaço de papel.
Peguei, botei no bolso e sem olhar pra ti e sai. Andei meio sem rumo, eu nem tinha mais vida mesmo, sem vida sem você.

NOSSA! Coitada de mim! :P
Tá, eu vou ver se vou dormir agora, isso se a Giane parar de falar sem parar né, por que tá foda.
:p
Capaz Gi, te amo né, tu sabe, mas pára de falar POR FAVOR!!!!!
Eu sou capaz de ouvir por horas como alguém se sente e entender perfeitamente, mas nao sei falar meia palavra sobre como me sinto.

Eu gosto de ti, tu me faz tão bem, me faz sorrir, me faz querer ser melhor por alguém, só não sei se te faço bem. Nao correspondo como você merece, como gostaria de corresponder.
Eu nunca menti pra ti sobre isso tudo ai em cima, você sabe, e quando quero "dar uma chance pra nós" penso se isso não seria egoísm de mais da minha parte. Eu so nao quero te machucar mais ainda.
Eu acordei no meio da madrugada, na televisão ligada passava algum filme de luta, sei la. Olhei pra todos os lados me certificando de que estava sozinha mesmo.
É a segunda vez que sonho com isso, sexo com um corpo sem cabeça, so que dessa vez ele corria atrás de mim. MELDELS! tive medo.
Olhei pro teto, meus origames giravam sobre a minha cabeça. " O que significa?"
Nada, é só um sonho. Me virei de lado e de repente me veio a cabeça uma cena, censurada.
Preciso de sexo, so pode ser isso, preciso mesmo.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Foi em 2005, 15 pra 16 anos.

Eu vivia um relacionamento conturbado e tinha uma vida agitadíssima! (6) loucura aqueles tempos. Foi quando eu a ouvi pela primeira vez, meu inglês ainda em fase de aprendizagem (como diga-se de passagem, esta até hoje) não conseguiu traduzir na hora, mas o que conseguiu já me fazia a achar PERFEITA.

Predictable - Good Charlotte

A melodia é boa, a letra nem se fala. Não a toa que nunca canso de ouvir e toda vez que ouço sinto o coração acelerar numa empolgação louca quando ele grita essa estrofe:

"Everywhere I go
Everyone I meet
Every time I try to fall in love
They all want to know why I'm so broken
Why am I so cold
Why I'm so hard inside
Why am I scared
What am I afraid of I don't even know
This story's never had an end
I've been waiting
I've been searching
I've been hoping
I've been dreaming you would come back
But I know the ending of this story...
You're never coming back
Never..never..never..never..."

É minha música cara, sem sombra de dúvidas. Toda raiva e ressentimento possível eles conseguem passar através dela. E não que eu tenha ressentimentos, raiva sim, ressentimentos poucos.

Tá, eu vo lá fumar narguilé e escutar um Bob, por que depois tenho trabalho pra fazer. Aff

"Somenthin isn't right
I can feel it again
It isn't the first time..."

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Ahh! só pra avisar que qualquer um pode comentar, liberei os comentários, é só querer.
É o momento em que o mundo te abandona e você abandona o mundo.
Vai te faltar ar, vai ser impossível viver no teu próprio corpo.
"Porra, qual é o meu problema!" Nenhum, não há um problema, há apenas conflito de "quereres", eles não se fecham como deveriam.
Nem um milhão de palavras vão ser capazes de explicar a situação, o sentimento, o porquê.
Sempre tive vontade de correr léguas, como se adiantasse, nao adianta, e também não adianta fugir, nem mudar de turma, de cidade, nada. É o tipo de coisa que vai te perseguir, atormentar onde você for por meses ou até anos, uma sombra. E cada vez que você beijar alguém, transar com alguém, querer alguém, a maldita sombra vai estar as voltas e haverão comparações e comparações não são legais.
Dizem que o trabalho dignifica o homem, pra mim o sofrimento é quem faz o papel, não há nada mais humano do que sofrer.

Rejeição, sempre acontece.

Mas não esquece que SEMPRE passa e depois que você olhar pro seu objeto de desejo e não sentir NADA, ai sim você venceu, ou perdeu.

A vida e seu ciclo interminável, um dia de caça outro de caçador.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Precisava arrumar o quarto, bagunça de mais.
Comecei a tirar os papéis antigos da gaveta do criado mudo, sentada em frente a ele. Lia alguns, outros passavam batido, até que vi aquele velho folder amarelo amassado no seu cantinho. Sorri. Desamassei-o, li, balancei a cabeça. Por um segundo pensei em joga-lo fora, não dá. Amassei-o de volta e joguei onde havia encontrado.
Não se joga fora um passado que te faz sorrir.
Eu acordei de bom humor hoje, mas é um bom humor extremamente destrutivo. Tipo, minha vontade incontrolável de fazer graça me leva a zoar com a pessoas, o que me leva a irritar as pessoas e a magoar as pessoas. É o tipo de humor negro que ás vezes é melhor nem se ter.
São 9 da manha e eu ja tirei com pelo menos 3 pessoas, 1 delas ja me odeia de morte, as outras 2 se irritaram. Eu não tenho um objetivo na verdade, mas se continuar nesse ritmo, até as 6 da tarde metade dos meus amigos e familiares dormirão querendo me matar.
Faz parte, minha diversão tem seu preço.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Eu preciso dizer que você me faz sorrir. Mas não só sorrir, sorrir mesmo, sorrir grande e bonito!
Obrigada, por me encher de esperança quando eu mais precisava. :D

COISA MAIS LINDA! *_*

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Deixa a vida nova entrar, deixa o coração sentir coisa nova e boa, deixa!
Aproveita, o que passou, passou. O que foi bom guardo, o ruim guardo também, mas bem fundo pra não lembrar sempre.

Recicle-se.

domingo, 6 de setembro de 2009

Meu fim de semana nao foi tao ruim quanto eu imaginei. Ele foi bom, tive uma surpresa boa. :D
Ah! só nao acaba com a diversao antes da hora né, é covardia. Zuei e...[vácuo].

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Porra velho! To na merda, mas na merda mesmo! Como ha anos nao ficava. Sabe a sensaçao de rejeiçao, de nao se ter o que se quer, de nao ser correspondida e todos esses sentimentos que envolvem uma paixao platônica, entao, eles estao todos em mim. E eu sinto dizer, é impossível disfarçar, minha frieza nao chega a esse ponto, ela nem é mais capaz de segurar a vontade de chorar. Tenho chorado tanto.
Eu nao culpo ninguem, nao há vitimas ou agressores, foi só...Hum...falta de sorte da minha parte, acho que a única explicaçao, falta de sorte. Por que sabe, eu ja ouvi tanta pessoas dizendo que gostam de mim sem sentir a mesma coisa que ás vezes me sentia imune a isso e agora, quando gosto de alguém, quando me sinto disposta, não sou correspondida. Tremenda falta de sorte.

Quero minha mãe, a juli, o Digo, o Loro, o Bart, o Vini, a Tuca...Quero colo. Quero alguém que me ouça sem me julgar. Nao quero tocar, nao quero festa, quero minha casa. Nao quero ninguem. Me sinto triste, sozinha, é, acho que é assim que me sinto.

Vai passar, vai sim, sempre passa. Eu vou viver pra ver o dia em que eu nao vou tremer ao sentir teu cheiro. Até lá, pago meus pecados.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Doi tanto sabe? Doi de um jeito tao estranho, estranho por que eu ja devia estar acostumada a isso, a deixar e ser deixada, mas a dor é sempre diferente. É isso só, dor. :(