terça-feira, 28 de julho de 2009

Minha cabeça tá explodindo de tanta dor.
PUTAMERDA! Deu uns barulhão aqui agora, eu e a Cris se cagamo de medo!!
Talvez volte pra SA amanha de tarde, talvez quinta. Não sei ainda o que vou fazer, sinto que uma grande mudança vai acontecer, espero que seja boa.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Eu convido e desafio a entrar no meu mundo. É divertido, é incostante, desafiador, confuso.
Fora meu mau humor de manhã cedo, eu sou até engraçadinha. Bom, não vou entrar em detalhes sobre meus atributos. Só tenho mesmo que dizer, que é um mundo sem volta segura para a realidade, um caminho que se você fizer possivelmente não voltara igual ao que foi. Mas pense pelo lado positivo, as marcas que ficarão em você não se compararão à diversão e prazer vividos. Arrisca-se???

domingo, 26 de julho de 2009

Eu chego a conclusão que reencontros são essenciais na minha singela vida. Sentar com velhos e bons amigos, relembrar tudo que já vivemos, compartilhar histórias novas e se sentir dentro de um tempo que já foi passou, mas que se pudessemos nunca teriamos deixado de lado.

Eu não quero sair hoje, tambem não quero atender ao telefone e também não quero lembrar que me chamo Mariá. Não me chamem hoje ok??

Tudo vale a pena quando a alma não é pequena(?) Tá, tá. Já dizia o poeta. Nunca entendi muito de poesia. Não não, vou parar de escrever coisas sem sentido pra quem lê.
Só mais uma coisa, talvez eu realmente nao saiba o que estou fazendo - fikdik

sábado, 25 de julho de 2009

Minha vontade era de bater a cabeça na parede até perder a consciência, mas achei melhor só baixar a vista e fingir que me entretia no msn.
Eu não devia ter acordado cedo, tava frio, já é motivo o suficiente pra ficar na cama. Mas eu acordei e fui pra loja. Meia manhã, eu estava com a cabeça virada pro monitor, so ouvi quando entrou cumprimentando, como se precisasse olhar pra reconhecer, a voz rouca e o perfume que invadiu o ambiente. A mãe correspondeu o cumprimento e falou: - "Vocês se conhecem ne?"
putamerda! Levantei a cabeça - " Nos conhecemos sim. Oi" - Falei sem graça.
- " Nos conhecemos sim, nos conhecemos muito bem." - A voz rouca falou mexendo em uma arara.
OK, morri -fato.